por -
Avalie esse post

Ebook-do-Matheus-Lessa

O que vem à sua mente quando você pensa no termo “regime interno de trabalho”? Para muitos empreendedores, independente do ramo em que atuam, ele representa algo extremamente burocrático, mas não é bem assim… Nesse artigo vamos explicar melhor do que se trata e como o seu negócio de alimentação pode aderir a esse regime a fim de criar uma rotina de trabalho agradável para todos os envolvidos.

Continue a leitura até o final para saber mais.

Entendendo o que de fato é um regime interno de trabalho

A explicação para esse termo não poderia ser mais simples: o regime interno de trabalho, também conhecido por regulamento interno, é basicamente o conjunto de normas e regras que devem ser seguidos e respeitados pelos colaboradores em uma empresa.

Trata-se de algo muito conhecido no mundo corporativo, e que deve fazer parte também dos estabelecimentos voltados para alimentação, sendo criado pelos próprios empregadores com o objetivo principal de criar uma boa rotina de trabalho, na qual cada envolvido sabe exatamente o que/como deve fazer.

Aliás, esse é apenas um dos principais motivos pelos quais você também deve aderir ao regime interno de trabalho em seu negócio:

Ele é o caminho para um ambiente de trabalho harmonioso e auxilia, ainda, na retenção de talentos. Afinal, ao estar ciente do que é abordado nesse regulamento, cada colaborador sabe o que é esperado dele e quais são os motivos pelos quais pode levar alguma advertência ou ser despedido. Logo, se aceitou continuar nesse emprego, é por que acredita estar alinhado com os objetivos do seu estabelecimento.

Mas, afinal, como começar a trabalhar esse termo?

Veja a seguir.

Como aplicar o regime interno de trabalho em seu negócio

A aplicação do regime interno de trabalho em um negócio voltado para a alimentação não é, necessariamente, algo complicado.

Via de regra, cada empresa/empregador deve seguir o que consta na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), mas a mesma não engloba, por exemplo, pontos e necessidades que são específicos de cada empresa, o que abre a oportunidade para que cada uma crie um regulamento complementar com as regras que julgar necessárias.

A única determinação a ser seguida é que em nenhum momento seja infringida alguma regra da própria CLT. Colocar no regime interno de trabalho que determinada ação acarreta justa causa, sem que essa ação esteja prevista na Consolidação, por exemplo, é inaceitável.

Posto isso, entende-se que você, como dono de um restaurante ou qualquer negócio voltado para alimentação, também pode criar seu regulamento da forma que achar melhor. Eis algumas dicas para começar (lembrando que a primeira é e sempre será respeitar a CLT):

DETERMINE OS PONTOS QUE DESEJA ABORDAR

Você pode orientar seus colaboradores a respeito:

  • Das áreas de uso de uniforme;
  • Dos atrasos, licenças e faltas;
  • Do respeito aos demais colaboradores, bem como aos proprietários;
  • Da correta forma de conduzir os veículos do estabelecimento, caso os tenha;
  • Do correto uso do computador, telefone e outros equipamentos, entre outras coisas.

NÃO DEIXE DE LADO A CULTURA DA SUA EMPRESA

Uma empresa de alimentação, bem como qualquer outra, deve ter missão, visão e valores que formam sua cultura, e a mesma não deve ser esquecida na hora de criar o regime interno de trabalho.

Se um dos maiores objetivos é ser visto como um restaurante sustentável e que preza pelo meio ambiente, por exemplo, é interessante colocar entre as normas algo sobre o desperdício de alimentos e uso inteligente da água.

ENTREGUE O REGIME INTERNO DE TRABALHO A CADA COLABORADOR

De nada irá adiantar criar algo que deve ser seguido pelos colaboradores se os mesmos não tiverem acesso, por isso os trabalhadores atuais, bem como os que chegarem com o passar do tempo, devem receber uma cópia.

Para sua segurança como empregador, colha a assinatura relacionada a cada recebimento. Desta forma, caso algum ponto não seja respeitado, você saberá que foi por descuido, uma vez que o colaborador estava ciente das regras e inclusive assinou um documento atestando isso.

Simples, não é mesmo?

Medidas que auxiliam na aplicação desse regime

Para tornar mais simples não só a aplicação do regime interno de trabalho, mas também o respeito ao mesmo, adote algumas medidas extras, que certamente irão te ajudar.

Há um quadro de avisos em seu estabelecimento?

Se sim, fixe um aviso específico sobre a existência de regras internas, salientando que quem ainda não assinou a retirada do documento deve te procurar, bem como quem tiver dúvidas. E, por falar em estar aberto a tirar dúvidas de sua equipe, não se esqueça de criar e manter um ambiente de trabalho que seja agradável e receptivo para todos.

A criação das regras faz parte desse processo, mas quando literalmente gosta do ambiente em que trabalha qualquer pessoa se sente mais motivada a dar o seu melhor. Então esteja aberto a conversas, sugestões, críticas e, por que não, pequenas mudanças que possam favorecer a todos, dando ouvidos também ao que seus funcionários têm a dizer.

Lembra que, mais acima, falamos sobre reter talentos? Essa é uma das formas mais simples, afinal seus colaboradores se sentirão valorizados.

E com todos sabendo como se deve trabalhar, por conta do regime interno, os níveis de admissões e demissões serão bem menores, o que contribui também, e significativamente, para o caixa da empresa. Mas isso não significa que o controle financeiro deva ficar de lado: ele envolve inúmeros fatores, e merece total atenção para que o seu negócio não entre no vermelho.

Um desses fatores é a correta administração das vendas feitas via cartão, seja crédito ou débito, e do seu fluxo de caixa como um todo, pontos esses muitas vezes ignorados ou mal trabalhados por muitos empreendedores.

Se você sente dificuldades na sua gestão financeira e não sabe qual o primeiro passo que deve dar para criar excelência nessa área, conheça as Planilhas de Gestão Financeiras clicando no banner abaixo e entenda como elas podem, juntas, transformar seu negócio.

Se ficar com qualquer dúvida, entre em contato para falar com a nossa equipe.

E para saber um pouco mais sobre regime interno de trabalho, leia esse artigo do Guia Trabalhista.

banner planilhas financeiras matheus lessa